Por Upsocl
25 septiembre, 2020

Luciana tem 32 anos e 4 filhos. Não tinha pensado em voltar a engravidar, mas quando soube que seus amigos Victor e Ezio queriam ser pais, quis dar a eles o melhor presente de suas vidas.

Lamentavelmente, para os casais homossexuais não é fácil se tornarem pais ou mães. É uma triste realidade, principalmente se é considerado o panorama de muitos pequenos que buscam ser adotados, ser felizes e amados. Para Vitor e Ezio, um casal da Argentina, também tem sido complexo, mas agora tiveram uma linda surpresa.

Acontece que eles terão o seu primeiro bebê graças ao apoio e a solidariedade de uma grande amiga que, quando soube de seu desejo, decidiu emprestar o seu ventre para tornar realidade o sonho do casal.

Sem dúvidas eles formarão uma linda família!

Archivo personal Luciana Correa

Luciana tem 32 anos e já foi mãe 4 vezes. Não tinha a mínima ideia de voltar a ficar grávida, mas considerando o desejo dos seus amigos, decidiu fazer essa linda surpresa para eles.

Recebeu o óvulo e o espermatozóide através de doações e agora ela já tem 34 semanas de gestação e está a ponto de dar à luz. De fato, provavelmente quando você esteja lendo essa matéria, o bebê já tenha nascido.

Archivo personal Luciana Correa

Na Argentina, por sorte existe a “Gestação Solidária”, um sistema que permite a casais registrarem como sendo deles filhos nascidos por reprodução assistida, isto é, tal como o caso de Victor, Ezio e Luciana.

Foi assim que os três amigos começaram o processo de inseminação artificial, no ano de 2019. Por conta da pandemia, não foi simples, mas a vontade e o amor falaram mais alto.

Imagen referencial – Pixabay

Eles vivem no extremo da Argentina e com isso, para se encontrarem, têm que viajar longas horas, pedir permissões especiais e, inclusive, fazer exames de COVID-19. Um daqueles testes deu “falso positivo”, o que impediu uma das últimas visitas.

Luciana decidiu viajar a Buenos Aires por conta própria e dar segurança aos pais do seu bebê.

” Se nascesse na minha província, íamos ter que realizar um longo processo judicial para impugnar a maternidade, que podia chegar a dois anos e que envolvesse até provas de DNA para comprovar a paternidade”.

Comentou Luciana a veículos de imprensa locais.

Archivo personal Luciana Correa

Neste fim de semana passado, Luciana e dois dos seus filhos chegaram até a capital argentina para os últimos momentos da gestação.

O casal decidiu batizar a bebê como Pilar e escolher Luciana para ser a sua tia. Ela sabe que, apesar da sua gravidez, a bebê não é sua, mas de seus amigos.

“Vou sempre estar presente como a tia dela. Meus amigos me perguntaram se eu não poderia me afeiçoar demais quando me mandem fotos da neném, mas não, estou muito tranquila e confiante da minha decisão. Meu desejo é que eles sejam felizes, que Pilar tenha uma vida saudável e com o amor dos dois”.

Ressalta Luciana a veículos de imprensa locais.

Imagen referencial – Pixabay

Pilar crescerá sabendo que foi fruto do amor, da solidariedade, e da bondade. Terá uma linda família, com pais e uma tia exemplares.

Ela será imensamente feliz e sobre isso não há dúvidas!

Puede interesarte