Por Upsocl
23 agosto, 2021

A atriz brasileira Giselle Itiê pretende criar um garoto que não tenha que carregar os preconceitos e estereótipos de gênero que são uma praga nas gerações mais velhas. Sua maneira de fazer isso é dando a ele uma educação desde a sua mais linda infância.

Se alguém quer ter uma perspectiva sobre o quão rápido as coisas têm mudado nas últimas décadas, não é necessário ir ao século passado e calcular a distância que há entre o primeiro avião decolado de um campo e a aterrissagem na lua, mas simplesmente olhar para alguns anos atrás e ver como tem mudado as perspectivas em relação às identidades de gênero. Especialmente no que se diz respeito ao que é “apropriado” para meninos e meninas, os últimos anos têm visto mudanças enormes.

@gitie

É por isso que muitos pais modernos pretendem se somar a esta onda, ensinando os seus filhos a serem diferentes desde pequenos.

@gitie

Giselle Itiê é uma delas. A atriz brasileira que acaba de ser mãe foi notícia recentemente por conta da sua decisão de ensinar o seu novo filho de maneira diferente de como fizeram com ela e com a sua geração. Por isso que contou em uma entrevista que o seu filho de apenas um ano já é parte da revolução do que significa ser homem e mulher ou menino e menina.

@gitie

Por isso é que a mãe anunciou que se assegura de que seu filho brinque tanto com brinquedos para meninos, como aqueles que tradicionalmente são associados a meninas.

@gitie

Isso inclui bonecas. Dado que o bebê é muito pequeno ainda, ela espera que o garoto não seja vítima da diferença entre um brinquedo e outro, para que assim cresça livre dos preconceitos associados a um ou a outro. É claro que ao contar isso, algumas pessoas reagiram de maneira negativa, mostrando que o que estava fazendo era impor suas próprias ideologias a um garoto que ainda não tem a capacidade de discernimento.

@gitie

Por outro lado, se poderia simplesmente pensar que como ela é a mãe, Giselle é livre para dar as lições que ela considera apropriadas para o seu garoto. De certa maneira, não é muito diferente de um pai escolhendo se criará o seu filho para seguir certa religião ou outra.

“Temos que valorizar o lado feminino dos homens. Por isso é importante que os pais cuidem, deem bonecas para as crianças, têm que entender que o importante que é dar as boas-vindas, amamentar, alimentar outra vida. As crianças aprendem com o exemplo, por isso acredito que Pedro Luna [um ano e meio] não será sexista. Quero que seja livre para ser quem queira, sem que culpem por isso. Como homem branco, espero que aproveite este privilégio e possa ajudar outras pessoas”.

–Giselle Itiê para o Universia

@gitie

Uma mulher moderna, que faz tudo pensando em criar um bom bebê.

Puede interesarte