Por Upsocl
12 octubre, 2021

Na base de marteladas, um trabalhador destruiu cada um dos azulejos do banheiro enquanto gritava: “Agora quem vai me pagar?” A mulher conseguiu pagar a metade do trabalho, mas segundo os empreiteiros, ela nunca disse a eles que estava insatisfeita.

Há pessoas que estão constantemente preocupadas em manter e reformar suas casas, seja fazendo reparações em seus quintais, em seus quartos ou em seus banheiros. Para isso é necessário contratar pessoas que possam fazer esse tipo de trabalho: os empreiteiros.

No entanto, há ocasiões em que os donos da casa têm alguns problemas com eles com respeito ao preço dos materiais que devem comprar e, algumas vezes, com o resultado do trabalho final, que varia segundo o planejado no começo.

Amber Trucke

Em Colorado Springs, Estados Unidos, ocorreu algo parecido: um empreiteiro voltou para casa onde tinha finalizado um trabalho para destruí-lo. Com um martelo em duas mãos começou a golpear sem piedade os azulejos que tinha colocado em um dos banheiros.

Segundo informação do meio de comunicação KRDO, a dona da casa, Amber Trucke, explicou que tinha pago 3.330 dólares de um total de 7.555 dólares, mas que quando o homem terminou o trabalho ela não tinha ficado satisfeita com o resultado final.

Amber Trucke

Ela pensava que o assunto poderia conversar com os empreiteiros e chegar a uma solução que fosse justa para ambas as partes. Mas contrariamente a isso, Terry James Gregory e Jordan Cazares, que eram responsáveis pelos trabalhos, chegaram à sua casa com marretas e serras para destruir as reformas.

Amber pegou o seu celular e começou a gravar como o homem destruía cada um dos azulejos das paredes enquanto gritava: “Trabalhei semanas nisso. Gastei milhares de dólares. Agora quem vai me pagar?

Amber Trucke

O impacto daquela cena a deixou em choque. Mais além do dinheiro que desembolsou por um trabalho que agora estava destruído, Amber temeu por sua segurança. “Me deixa doente, me assusta. Isso é mais do que destruir o meu banheiro”, ressaltou.

Mas diferentemente da versão da dona de casa, Jordan, um dos empreiteiros, explicou que nunca foram comunicados que os proprietários do imóvel não tinham gostado do trabalho. “Nunca antes tinha acontecido e não é algo que seja habitual. Tinha vários outros projetos incluídos no contrato que ela também não esteve disposta a pagar”, disse em um comunicado.

 

Os trabalhadores explicaram que lhes chegaram ameaças de morte depois de que a mulher tornasse público o registro. Por sua vez, Amber disse que desde hoje em diante terá mais cuidado com as pessoas que contrata e que fez uma denúncia na polícia.

Puede interesarte