Por Upsocl
8 abril, 2021

O caso ocorreu em Mendoza, na Argentina, onde um pequeno de 11 anos entrou no lugar só para pedir uma caneta e assim poder ir ao colégio, mas terminou tendo uma grata surpresa. Tudo ficou gravado nas câmeras de segurança e o fato rapidamente se viralizou nas redes sociais.

Em meio à pandemia do coronavírus, muitas pessoas ficaram sem os seus trabalhos ou têm visto uma baixa considerável em suas rendas. É por isso que várias pessoas têm tido que recorrer a diferentes ajudas, inclusive as crianças. Isso foi o que aconteceu com um pequeno na Argentina. As aulas presenciais tinham voltado e ele necessitava de uma caneta e por isso decidiu entrar em uma livraria e pedir uma. O que não esperava era receber uma sacola cheia de materiais escolares.

Na última quinta-feira, 25 de março, um menino de 11 anos entrou em uma livraria de San Rafael, Mendoza, Argentina, com um objetivo claro em sua mente: pedir uma caneta para poder estudar no colégio.

Captura video

Tudo ficou gravado nas câmeras de segurança do lugar. O menino não queria nada mais e só precisava de uma caneta para anotar a matéria que lhe ensinariam no colégio. Não queria dinheiro. Não queria comida. Só queria uma caneta.

Captura video

A presença e o pedido do menino chamou a atenção da pessoa que estava atendendo na livraria e, para a surpresa do pequeno que cursa o sétimo ano, lhe presenteou com todos os materiais escolares que precisaria: um caderno, canetas, tesouras, borracha e até um estojo, entre outras coisas.

O pequeno, surpreso com tudo o que estava recebendo de presente, disse “obrigado, senhor!” e saiu do lugar. No entanto, uma atitude tão boa como o que acabava de acontecer, não podia passar despercebido e foi presenciado por Pablo Peñaloza, um cliente que também estava na livraria, que descreveu a situação no Facebook como “fatos que transcendem. Por coincidência, presenciei esta manhã um fato que nos move a seguir caminhando na direção correta”.

 

“Deixaram entrar um menino que não pedia dinheiro, comida, entrou para pedir material para poder ir para a escola (como literalmente disse o menino), ao que o dono do local foi em direção às estantes e encheu uma sacola perguntando ‘o que mais você necessita?”. Tive que expressar a minha admiração”, terminou de explicar Peñaloza à TVA Argentina.

Por último, em uma conversa com o Sitio Andino, o dono da loja disse que a ideia de ajudar o menino foi do seu filho. Quando tiro um cochilo, desconecto as redes sociais; e quando acordei e as habilitei, não podia acreditar na repercussão que isso teve; nem sabia que alguém tinha visto”, confessou.

Puede interesarte