Por Upsocl
6 abril, 2021

“Há um scanner masculino e um scanner feminino no posto de controle. E, me olhando, já sabes, me vejo como uma mulher e sou uma mulher. Então isso é genial (…) Mas, ao passar pelo scanner, sempre tenho uma ‘anomalia’ entre as pernas que dispara o alarme”, contou Rose Montoya.

Durante os últimos tempos tem se gerado uma mudança radical em certas políticas para gerar maior diversidade e respeito com a comunidade LGBTQI+. No entanto, há algumas áreas e serviços que ainda não estão adequados para isso e que seguem caindo em atos discriminatórios.

Segundo informou o BuzzFeed, Rose Montoya, uma influencer, maquiadora, modelo e atriz trans, há pouco tempo compartilhou uma má experiência que viveu com os guardas de segurança no aeroporto do Arizona, enquanto ia visitar o seu namorado.

A modelo publicou em seu Instagram um vídeo explicando a situação. Segundo contou, “sempre tenho uma imensa ansiedade quando passo pela segurança. E isso significa que reconheço totalmente o privilégio de ter todos os meus documentos corretos”.

Rose teve que passar pelo scanner, um processo que é rotineiro no momento de embarcar no avião. “Há um scanner masculino e um scanner feminino no posto de controle. E, me olhando, já sabes, me vejo como uma mulher. Então, isso é genial (…) Mas, ao passar pelo scanner, sempre tenho uma ‘anomalia’ entre as pernas que dispara o alarme”, contou.

Foi aí quando uma assistente de segurança lhe perguntou se ela tinha “algo” em sua calça. “Disse a ela que ‘não’ e ela me disse: ‘Bom, talvez seja o metal das sua calça curta, e com isso vamos te scannear de novo”, acrescentou Rose.

Rose sentiu a todo momento que estava sendo desconsiderada pela assistente de segurança, “Sua solução foi, ‘você quer ser scaneado como homem?’ Não tinha feito. Mas terminei fazendo e depois meus seios ativaram o scanner por razões óbvias”.

Apesar de Rose tentar apaziguar a tensão com uma piada, a segurança lhe perguntou se queria ser revisada por um homem. “Disse que não! Absolutamente não”. Após essa situação complicada, Rose contou que “respirei fundo”, agarrei minhas coisas, comprei um café com leite, bolachas de manteiga e um sanduichinho. Me senti desrespeitada”.

É que a modelo contou que é uma sortuda por ter seus documentos com seus novos nomes e fotos atualizadas, mas disse que antes as experiências eram piores. “Desde que me fizeram perguntas invasivas sobre o meu corpo até quando me tocaram de maneira inapropriada e me agrediram sexualmente”, detalhou.

De aí em diante, a influencer começou a publicar uma serie de vídeos no seu TikTok para conscientizar sobre esses casos de discriminação. “É necessário que haja capacitação em todos os negócios sobre as pessoas transgênero. Somos reais e sempre existimos. Não sou uma cidadã de segunda classe. Mereço os mínimos direitos e o mesmo respeito que as pessoas cisgênero”, completou Rose. 

Puede interesarte