Por Upsocl
19 noviembre, 2021

Sua filha sofre de uma síndrome estranha e Eliza, a mãe, pede para a sociedade mais sensibilidade para as crianças especiais e menos discriminação pela aparência física. Uma situação que teve que enfrentar junto à sua pequena desde que nasceu.

Uma mãe fez um relato sincero sobre a sua experiência com a maternidade, tudo depois de sofrer a rejeição, a discriminação e o desencontro no momento que nasceu a sua filha. Para ela, era o momento mais feliz de sua vida, para outros, foi uma surpresa “pouco agradável”.

Eliza J., é uma mãe de uma menina com uma síndrome pouco comum, que decidiu falar por ela e por todas as mães que ficaram na solidão da maternidade quando não é “perfeita” e que persegue milhares de mulheres atualmente.

Love What Matters

Em entrevista com Love What Metters, Eliza contou que sempre quis ficar grávida, um sonho que dividia com o seu esposo. Por isso, tempo depois conseguiu conceber o seu bebê e viver uma gravidez plena e cheia de alegria.

De fato, durante a espera, todos desejavam a chegada da menina, que chamariam Bella e onde todos falavam das características físicas que herdaria o bebê, por exemplo com quem poderia se parecer. Uma situação que, de um momento para o outro, mudou por completo.

Love What Matters

Um mês antes da data programada, Eliza teve a sua bolsa estourada e isso lhe preocupou porque ainda não tinha as coisas prontas, mas decidiu ir para o hospital de todo jeito. Já durante o parto, começam a ocorrer fatos estranhos e notou que os médicos falavam muito.

Ficou 12 horas em trabalho de parto até que Bella finalmente chegou ao mundo. Ao vê-la pela primeira vez, notou que a orelha de sua filha estava dobrada e que era muito pequena, mas achou que era normal, já que tinha escutado que as crianças nascem enrugadas.

Love What Matters

Inclusive, sem ver a sua filha, já estava emocionada pela sua chegada, mas os olhares ao seu redor não diziam o mesmo. A mulher não recebeu os parabéns, nem sequer do seu esposo, que parecia assustado.

Rapidamente, vários profissionais entraram para ver a sua filha e ninguém lhe dizia nada, tudo até que decidiram levá-la para os cuidados especiais. Foi nesse momento que Eliza pediu para ver o seu bebê e desmoronou de emoção: apesar de que tenha notado que era diferente, ela só queria oferecer amor e cuidados.

Finalmente, e depois de vários procedimentos médicos, a pequena Bella foi diagnosticada com a síndrome de Treacher Collins, uma infecção hereditária que impede o desenvolvimento de alguns ossos e tecidos da cara, o que obriga os pacientes a serem submetidos e uma cirurgia com pouca idade.

Love What Matters

Apesar de que tanto Eliza como o seu esposo fizessem um esforço diário para oferecer a melhor vida para a sua filha, a mãe pede para a sociedade em geral que tenha mais sensibilidade, tanto para os pais como para as crianças especiais. Ela assegura que com a ajuda das pessoas, a vida se torna muito mais fácil.

Puede interesarte